Arquivos fobias - Nádia Bossa
224
archive,tag,tag-fobias,tag-224,theme-stockholm,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,select-theme-ver-3.5.2,menu-animation-underline-bottom,wpb-js-composer js-comp-ver-6.4.1,vc_responsive
 

fobias Tag

Transtorno de Fobia Social

Transtorno de Fobia Social, também chamado de Transtorno de Ansiedade Social, é diagnosticado quando a pessoa se torna exageradamente ansiosa e excessivamente rigorosa consigo mesma em situações sociais. Pessoas com fobia social possuem um intenso, persistente e crônico medo de serem observados e julgados por outros, e de realizarem coisas que poderá envergonhá-las. Elas podem se preocupar por dias ou até mesmo semanas antes de uma determinada situação. Esse medo pode se tornar tão severo que pode interferir no trabalho, escola ou em qualquer outra situação comum do dia-a-dia, e isso pode interferir na possibilidade de fazer amizade ou de mantê-las. 

Embora muitas pessoas com fobia social percebam que seus medos de estarem com outras pessoas são excessivos ou irracionais, elas são incapazes de superá-los. Mesmo que eles consigam enfrentar seus medos e fiquem rodeados de pessoas, normalmente eles ficam muito ansiosos antecipadamente, ficam desconfortáveis durante os encontros e depois, se preocupam em como eles foram julgados.

A fobia social pode ser limitada à uma situação (como por exemplo, falar com alguma pessoa, comer ou beber algo, ou escrever na lousa em frente a outras pessoas) ou pode ser ampla, onde a pessoa se sente ansiosa perto de qualquer pessoa que não seja sua família.

Os sintomas físicos que podem acompanhar esse transtorno são: rubor, suor intenso, tremedeira, náusea, e dificuldade para falar. Quando esses sintomas aparecem, as pessoas com o transtorno de fobia social sentem como se todas as pessoas estivessem olhando para elas. 

Transtorno de fobia social afeta cerca de 15 milhões de americanos adultos. Homens e mulheres podem desenvolver igualmente a doença, a qual normalmente começa na infância ou no início da adolescência. Existem algumas evidências que há fatores genéticos envolvidos. Esse transtorno é sempre acompanhado por outros transtornos de ansiedade ou depressão, e o abuso de substâncias pode acontecer se as pessoas tentarem se automedicar para melhorar a ansiedade. 

O transtorno de fobia social pode ser tratado com certos tipos de psicoterapia ou medicação.

Depoimentos 

“Em qualquer situação social, eu sinto medo. Eu já começo a me sentir ansioso antes mesmo de sair de casa, e isso vai aumentando na medida em que eu vou chegando ao lugar, como por exemplo, na sala de aula, uma festa, ou qualquer outra situação. Eu me sinto doente, na maioria das vezes é como se eu tivesse com gripe. Meu coração acelera, minhas mãos começam a soar e eu tenho um sentimento de que estou fora de mim mesmo.”

“Quando eu estou chegando em um lugar cheio de gente, eu sinto que todo mundo está olhando para mim e eu fico com o rosto vermelho. Eu fico com vergonha de ficar sozinho em um canto, mas eu também não consigo pensar em nada para dizer para alguém. Isso é humilhante. Eu me sinto tão desajeitado e não vejo a hora de ir embora.”

Texto extraído do material “Anxiety Disorders”, por National Institute of Mental Health.

Continue Reading

Fobias Específicas

Uma fobia específica é um medo intenso e irracional de algo que apresenta pouca ou até mesmo nenhuma ameaça. Algumas das mais comuns fobias são: altura, escadas rolantes, túneis, estradas, espaços fechados, água, voar, cachorros, aranhas, e machucados envolvendo sangue. As pessoas com fobias específicas podem ser capazes de esquiar a montanha mais alta do mundo com facilidade, mas não são capazes de subir até o quinto andar de um prédio, por exemplo. Quando os adultos com fobias percebem que esses medos são irracionais, eles costumam pensar em enfrentar eles, porém o objeto ou situação temida provocam um ataque de pânico ou uma ansiedade muito severa.

Fobias específicas afetam cerca de 19.2 milhões de adultos americanos e são duas vezes mais comum em mulheres do que em homens. Elas costumam aparecer na infância ou na adolescência e tendem a persistir até a idade adulta. As causas das fobias específicas ainda não muito bem entendidas, mas há algumas evidências que demonstram que há uma tendência do desenvolvimento ser hereditário.

Se o objeto ou situação temida são fáceis de evitar, as pessoas que possuem fobias específicas não costumam procurar ajuda. Mas se esse ato de evitar interfere no trabalho ou na vida pessoal, isso pode se tornar problemático e é necessário que haja um tratamento.

As fobias específicas respondem muito bem à psicoterapias responsavelmente direcionadas.

Depoimentos

“Eu tenho medo de morrer voando, então eu nunca mais viajei de avião. Eu costumo temer uma viagem de avião um mês antes de viajar. É um sentimento horrível quando as portas do avião fecham e eu me sinto preso. Meu coração começa a bater mais forte e eu começo a suar muito. Quando o avião está prestes a decolar, o sentimento de que eu não posso sair dali só é reforçado. Quando eu penso na sensação de estar voando, eu já me imagino perdendo o controle, pirando e escalando paredes, mas é claro que eu nunca fiz isso. Eu não tenho medo de bater em outro avião ou passar por turbulências. É só esse sentimento de se sentir preso. Eu pensei em mudar de emprego e eu tive que pensar “Eu teria que voar?”. Hoje em dia, eu só vou para lugares onde eu posso ir dirigindo ou através de trem. Meus amigos sempre perguntam por que viajar de trem não me incomoda, se eu também não posso sair de uma viagem enquanto ele está em alta velocidade. E eu só respondo que esse medo não é racional, então não sei.”

Texto extraído do material “Anxiety Disorders”, por National Institute of Mental Health

Continue Reading